terça-feira, 18 de dezembro de 2007

Untitled







Junto á janela gelada, sentada
vejo as gotas escorrer plo vidro molhado
Lá para fora olho, lá para o frio espreito
na esperança de sentir viva alma
que por ali tenha caminhado

Sem qualquer sinal de luz brilhante
morre a esperança de uma chama quente
que venha e ilumine a escura noite
A esperança de o ver mais uma vez
pensando sempre que será a ultima
A esperança de ver o seu véu negro
descer a escadaria do céu, ate ás minhas mãos,
de sentir o seu amora a nuvens
e o seu toque tão suave, tão maldoso

Tenho memoria de uma grande chama,
Vermelha
Capaz de queimar este mundo e o outro
Uma chama imponente
de uma imensa bondade,
mas capaz de tamanhas maldades

Esqueço o frio e a chuva
Perco-me no tempo e no espaço
Só uma apagada chama vã
se reflecte no meu olhar

Sinto-a fraca, quase branca
Desvanecendo-se

Foi longa a batalha no mar
e muitos deixaram por la a cabeça
Talvez tenha ele também por la deixado a dele

Ouso o vazio no ar
Pressinto más noticias
Sussurros chegam-me aos ouvidos
"lamentamos, perdeu-se"
e o reflexo cega

Na escuridão de uma resposta
Recordo-te...

2 comentários:

# S'Zz x _ disse...

Adorei o texto! .. É da tua autoria? x')

Sou a SaRaZz'x do www.fotlog.com/sarazz_x <3'

Anónimo disse...

la esta... um exemplo... tens de me dizer o k pensas tu... ja sei k as vezs pensas na vida ;D e fazs mt bem... mas esse cerebro e tao grande k deves pensar em mais cenas de certeza... com isto kero dizer k es inteligente mas ja devias ter percebido lol